Esquizofrenia

Dr. Rodrigo Athanazio

Dr. Rodrigo Athanazio

Clínico Geral

Publicado em 28/02/2024

A esquizofrenia é um transtorno psiquiátrico complexo, muitas vezes mal compreendido, caracterizado por uma gama de sintomas que afetam profundamente o pensamento, o sentimento e o comportamento de uma pessoa.

Mulher se sentindo ansiosa

Envolve uma desconexão da realidade, conhecida como psicose, e pode manifestar-se de formas variadas, impactando significativamente a vida do indivíduo e de suas famílias.

Este artigo visa esclarecer o que é esquizofrenia, identificar seus sintomas principais e discutir a importância do diagnóstico precoce e do tratamento adequado.

O que é Esquizofrenia?

Esquizofrenia é um transtorno mental crônico que afeta cerca de 1% da população mundial. É caracterizada por episódios de psicose, incluindo alucinações (ouvir, ver ou sentir coisas que não estão presentes) e delírios (crenças falsas fortes).

Além desses sintomas psicóticos, a pessoa pode experimentar pensamentos desorganizados, afeto embotado, falta de motivação e dificuldade em realizar atividades diárias.

Sintomas Principais

A esquizofrenia pode causar:

1. Sintomas positivos – Neste caso, "positivo" não significa "bom". Sintomas positivos são experiências ou comportamentos anormais que ocorrem por causa da esquizofrenia. Exemplos de sintomas positivos incluem:

  • Alucinações – Alucinações são quando você ouve, vê, sente, cheira ou saboreia coisas que não estão lá. Por exemplo, pessoas com esquizofrenia frequentemente ouvem vozes em sua cabeça dizendo para fazerem coisas quando não há realmente ninguém falando.
  • Delírios – Delírios são quando você acredita em coisas que não são verdadeiras. Por exemplo, pessoas com esquizofrenia às vezes acreditam que são uma pessoa famosa que está morta.
  • Pensamento ou fala desorganizados – Pessoas com esquizofrenia têm dificuldade em pensar de maneira organizada. Elas podem falar muito sobre muitas coisas antes de chegar ao ponto. Às vezes, inventam palavras ou dizem coisas que não fazem sentido algum.

2. Sintomas negativos – Neste caso, "negativo" não significa "ruim". Sintomas negativos são comportamentos normais que param por causa da esquizofrenia. Exemplos de sintomas negativos incluem:

  • Não demonstrar muita emoção e não mudar sua expressão facial
  • Não se mover ou falar muito
  • Não tomar banho ou manter-se limpo
  • Não ter muito interesse em passar tempo com pessoas ou se divertir

3. Sintomas cognitivos – Sintomas cognitivos são sintomas que afetam o pensamento e a memória. Pessoas com esquizofrenia têm dificuldade em:

  • Aprender e lembrar
  • Entender a fala ou outras formas de comunicação
  • Fazer sentido de novas informações
  • Resolver problemas

4. Sintomas emocionais – Pessoas com esquizofrenia frequentemente também têm sintomas de ansiedade ou depressão.

Diagnóstico da Esquizofrenia

Não existe um teste específico para diagnosticar a esquizofrenia.

O diagnóstico é feito com base na observação dos sintomas, histórico clínico e, às vezes, exames para excluir outras condições médicas.

Os critérios diagnósticos incluem a presença de sintomas por um período significativo, impacto no funcionamento diário e a exclusão de outros transtornos mentais.

Importância do diagnóstico precoce

Identificar e tratar a esquizofrenia o quanto antes pode significar uma grande diferença nos resultados a longo prazo.

O diagnóstico precoce e um plano de tratamento abrangente podem ajudar a minimizar o impacto do transtorno na vida do indivíduo, permitindo uma melhor gestão dos sintomas e melhoria da qualidade de vida.

Tratamento e Apoio

O tratamento da esquizofrenia é multifacetado, envolvendo principalmente medicamentos antipsicóticos e psicoterapia.

Embora os medicamentos possam reduzir muitos dos sintomas da esquizofrenia, eles podem ter efeitos colaterais que necessitam de gestão cuidadosa.

A psicoeducação familiar e outras formas de terapia são cruciais para apoiar o indivíduo e sua família, ajudando a lidar com os sintomas e a promover uma melhor qualidade de vida.

Para pessoas com esquizofrenia que desejam engravidar, é essencial discutir com o médico as opções de tratamento para assegurar tanto a saúde da mãe quanto do bebê. A continuação ou ajuste dos medicamentos deve ser cuidadosamente planejada em consulta com um profissional de saúde.

Caso haja presença dos sintomas, recomendamos que o paciente consulte-se com uma das especialidades abaixo:

Compreender a esquizofrenia é fundamental para desmistificar o transtorno e promover uma abordagem empática e informada no cuidado e suporte às pessoas afetadas. Embora desafiador, é possível viver bem com esquizofrenia, especialmente com o diagnóstico precoce, tratamento adequado e apoio contínuo.

Dr. Rodrigo Athanazio

Escrito por Dr. Rodrigo Athanazio

Clínico Geral

CRM-SP: 122658

Você tem uma pergunta?

Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, dirija-se a um especialista.