TDAH: Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade

Dr. Rodrigo Athanazio

Dr. Rodrigo Athanazio

Clínico Geral

Publicado em 28/02/2024

O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) é uma condição neurobiológica que afeta tanto crianças quanto adultos, caracterizada principalmente por dificuldades de concentração, hiperatividade e impulsividade que não são adequadas para a idade da pessoa.

Pessoa recebendo apoio, em um ambiente acolhedor e seguro

Mas, o que realmente significa viver com TDAH e como podemos apoiar aqueles que enfrentam esses desafios diariamente? Este artigo visa esclarecer o transtorno, destacando sintomas, causas e estratégias de manejo, mantendo o compromisso com a informação precisa e o cuidado empático.

O que é TDAH?

TDAH é um transtorno que se manifesta desde a infância e pode continuar na idade adulta. Ele envolve um padrão persistente de desatenção e/ou hiperatividade-impulsividade que interfere no funcionamento ou desenvolvimento.

Reconhecido geralmente na infância, o TDAH afeta o funcionamento cognitivo, acadêmico, comportamental, emocional e social, podendo persistir na idade adulta. Aproximadamente 8 a 10% das crianças entre 4 a 17 anos vivenciam o TDAH, sendo mais comum em meninos. O transtorno destaca-se como um dos mais prevalentes da infância, exigindo atenção para seu diagnóstico e tratamento adequados.

Causas do TDAH

As causas do TDAH são multifatoriais, envolvendo aspectos genéticos e neuroquímicos, com evidências apontando para um desequilíbrio de neurotransmissores no cérebro. Fatores de risco incluem a exposição ao tabaco antes do nascimento, embora a dieta e fatores ambientais tenham sido amplamente estudados, com conclusões variadas sobre seu impacto.

Sintomas e Diagnóstico do TDAH

Os sintomas do TDAH são divididos em dois grupos principais:

  • Desatenção: Dificuldade em manter o foco, seguir instruções detalhadas e concluir tarefas.
  • Hiperatividade e Impulsividade: Agitação excessiva, dificuldade em permanecer sentado, falar em momentos inapropriados e agir sem muita reflexão sobre as consequências.

O diagnóstico de TDAH baseia-se na avaliação de sintomas de hiperatividade, impulsividade e desatenção, que devem ser presentes em mais de um ambiente, persistir por pelo menos seis meses, iniciar antes dos 12 anos e impactar significativamente nas atividades sociais, acadêmicas ou ocupacionais da criança.

Não há um teste único para o TDAH, sendo o diagnóstico um processo que pode requerer múltiplas consultas e a exclusão de outras condições médicas ou psicológicas.

Condições Coexistentes

É comum que crianças com TDAH apresentem também outros transtornos, como distúrbios de aprendizagem, comportamento disruptivo, ansiedade e transtornos de humor. A identificação e tratamento dessas condições coexistentes são fundamentais para um manejo eficaz do TDAH.

Quando buscar ajuda

Cuidadores preocupados com a possibilidade de TDAH em seus filhos devem iniciar o diálogo com professores e profissionais da saúde. A colaboração entre cuidadores, educadores e profissionais de saúde é vital para um diagnóstico preciso e a implementação de estratégias eficazes de manejo e apoio.

O tratamento do TDAH pode envolver medicação, terapia comportamental e ajustes educacionais, adaptados às necessidades individuais da criança e visando melhorar sua qualidade de vida e desenvolvimento.

Gerenciando o TDAH

Embora o TDAH não tenha cura, existem várias abordagens para gerenciar os sintomas, incluindo:

  • Medicação: Estimulantes e não estimulantes podem ajudar a melhorar a concentração e reduzir a hiperatividade e impulsividade.
  • Terapia Comportamental: Ensina estratégias para gerenciar o comportamento e melhorar as habilidades organizacionais.
  • Apoio Educacional: Ajustes no ambiente de aprendizagem e métodos de ensino podem ajudar crianças e adultos com TDAH a terem sucesso acadêmico e profissional.

Caso haja presença dos sintomas, recomendamos que o paciente consulte-se com uma das especialidades abaixo:

Entender o TDAH é o primeiro passo para oferecer o apoio adequado a quem vive com este transtorno. Promover um ambiente compreensivo e adaptativo é essencial para ajudar indivíduos com TDAH a alcançar seu pleno potencial. Com informações corretas e abordagens inclusivas, podemos contribuir para uma sociedade mais acolhedora e empática para todos.

Dr. Rodrigo Athanazio

Escrito por Dr. Rodrigo Athanazio

Clínico Geral

CRM-SP: 122658

Você tem uma pergunta?

Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, dirija-se a um especialista.

Pergunta

TDAH só tem causa genética ou pode aparecer depois de certa idade? Pergunto isso pq sempre me considerei uma criança normal, nunca apresentei os sintomas que descrevem o quadro, mas ao longo dos ultimos anos tenho percebido muito fortemente a presença do quadro de TDAH

Dra. Joana Carvalho

CRM-BA: 230502

O TDAH é predominantemente influenciado por fatores genéticos, mas não é exclusivamente determinado pela genética. Além disso, fatores ambientais, neurobiológicos e exposições a toxinas podem também contribuir para o desenvolvimento do transtorno. Embora o TDAH seja comumente diagnosticado na infância, ele pode não ser reconhecido até a vida adulta, não necessariamente surgindo mais tarde, mas possivelmente não diagnosticado anteriormente. Eventos estressantes da vida e condições médicas podem exacerbar os sintomas em indivíduos com predisposição genética, sugerindo a importância de uma avaliação profissional para um diagnóstico e tratamento adequados.

Ver mais

Dra. Joana Carvalho