Transtorno do Pânico

Dr. Miguel A. V. Franco

Dr. Miguel A. V. Franco

Psiquiatra

Publicado em 21/03/2024

O que é Transtorno do Pânico?

Mulher se sentindo ansiosa

O Transtorno do Pânico é uma condição psiquiátrica complexa que afeta milhões de pessoas de todas as esferas e faixas etárias ao redor do mundo, caracterizada por ataques de pânico recorrentes e inesperados, acompanhados por intensos sentimentos de medo ou terror. Os ataques podem surgir abruptamente, desencadeando uma série de sintomas físicos e emocionais, como palpitações, sudorese, falta de ar, tremores, tonturas e sensação de desmaio. O transtorno do pânico pode ter um impacto significativo no cotidiano dos pacientes, afetando suas relações interpessoais, desempenho no trabalho e qualidade de vida no geral.

É importante ressaltar a diferença existente entre o pânico como uma resposta a situações que representam perigo iminente, do pânico característico do Transtorno do Pânico. Eventos estressantes, traumáticos ou amedrontadores que desencadeiam uma resposta de luta ou fuga, podem produzir pânico em pessoas sem o transtorno, como uma resposta correspondente e não persistente após o episódio de perigo iminente. Por exemplo, acidentes de carro e notícias alarmantes. Situações que produzem pânico apenas durante são vivenciadas.

O pânico persistente em portadores do Transtorno do Pânico, por outro lado, ocorre de forma inesperada, recorrente e não está necessariamente relacionado a uma situação de perigo iminente. Esses ataques são frequentemente acompanhados por sintomas físicos intensos, como palpitações cardíacas, falta de ar, tremores e sudorese, sintomas emocionais como medo intenso de morrer ou enlouquecer. O pânico persistente do Transtorno do Pânico pode ocorrer em qualquer momento, até mesmo durante atividades cotidianas habituais.

Em resumo, enquanto o pânico agudo em resposta a situações estressantes é uma reação natural e temporária, o pânico persistente do Transtorno do Pânico é uma condição psiquiátrica séria que requer atenção médica e tratamento adequado para auxiliar os portadores a lidar com seus sintomas e melhorar sua qualidade de vida.

Os sintomas do Transtorno do Pânico

Os sintomas do Transtorno do Pânico variam de acordo com a intensidade e a especificidade do quadro, portadores do transtorno são acometidos por episódios de medo intenso e desconforto físico, muitas vezes sem uma causa aparente. Durante um ataque de pânico, os indivíduos podem experimentar uma série de sensações físicas avassaladoras, como palpitações, sudorese, tremores, falta de ar, náusea e sensação de morte iminente. Ataques de pânico podem desencadear um medo persistente de ter outro ataque, levando a um comportamento de evitação de lugares ou situações que possam desencadear novos episódios, podendo implicar no isolamento social do paciente.

Causas do Transtorno do Pânico

O Transtorno do Pânico é uma condição multifatorial cuja procedência ainda é objeto de estudo. Considera-se que uma interação complexa entre fatores genéticos, neurobiológicos e ambientais está relacionada ao seu surgimento. Desequilíbrios neuroquímicos, especialmente relacionados a neurotransmissores como serotonina, dopamina e noradrenalina aliados à predisposição genética indicada por históricos familiares, têm sido associados ao transtorno. Episódios de grande estresse, eventos traumáticos ou situações de grande sobrecarga podem desencadear a manifestação dos sintomas do Transtorno do Pânico em indivíduos suscetíveis. O uso indevido de substâncias também pode desencadear os sintomas e elevar a gravidade do transtorno.

Acho que sofro de transtorno do pânico, o que fazer?

O diagnóstico do Transtorno do Pânico é uma etapa crucial e complexa que geralmente requer uma avaliação completa por parte de um profissional de saúde. Isso envolve entrevistas clínicas detalhadas, avaliações psicológicas minuciosas, exames físicos abrangentes e exames laboratoriais para descartar outras condições médicas que possam estar contribuindo para os sintomas. Uma vez diagnosticado, o tratamento do transtorno do pânico geralmente consiste em uma combinação de abordagens terapêuticas, incluindo medicamentos, como antidepressivos e benzodiazepínicos, e terapias psicológicas, como terapia cognitivo-comportamental e exposição gradual a situações temidas. Além disso, o suporte da família e a educação do paciente sobre sua condição desempenham um papel fundamental no processo de tratamento. Quanto às perspectivas futuras, pesquisas continuam progredindo na compreensão do transtorno do pânico, e novas abordagens terapêuticas estão sendo desenvolvidas para melhorar a qualidade de vida daqueles que vivenciam essa condição desafiadora.

Caso haja presença dos sintomas, recomendamos que o paciente consulte-se com uma das especialidades abaixo:

Referências

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION. (2013). DIAGNOSTIC AND STATISTICAL MANUAL OF MENTAL DISORDERS (5TH ED.; DSM-5). ARLINGTON, VA: AMERICAN PSYCHIATRIC PUBLISHING.

NATIONAL INSTITUTE OF MENTAL HEALTH (NIMH). (2022). PANIC DISORDER. RECUPERADO DE HTTPS://WWW.NIMH.NIH.GOV/HEALTH/TOPICS/PANIC-DISORDER/INDEX.SHTML

MAYO CLINIC. (2022). PANIC ATTACKS AND PANIC DISORDER. RECUPERADO DE HTTPS://WWW.MAYOCLINIC.ORG/DISEASES-CONDITIONS/PANIC-ATTACKS/SYMPTOMS-CAUSES/SYC-20376021

NATIONAL ALLIANCE ON MENTAL ILLNESS (NAMI). (2022). PANIC DISORDER. RECUPERADO DE HTTPS://WWW.NAMI.ORG/ABOUT-MENTAL-ILLNESS/MENTAL-HEALTH-CONDITIONS/PANIC-DISORDER

Dr. Miguel A. V. Franco

Escrito por Dr. Miguel A. V. Franco

Psiquiatra

CRM 132075

Você tem uma pergunta?

Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, dirija-se a um especialista.