Transtorno de Adaptação

Dr. Miguel A. V. Franco

Dr. Miguel A. V. Franco

Psiquiatra

Publicado em 20/03/2024

O que é Transtorno de Adaptação?

Pessoa recebendo apoio emocional, em um ambiente acolhedor e seguro

O Transtorno de Adaptação é uma condição psiquiátrica complexa que afeta milhões de pessoas em todo o mundo, caracterizada por uma grande apreensão à mudanças de vida, provocando nos portadores fortes sensações de estresse e ansiedade. Pode surgir abruptamente, desencadeando uma série de sintomas físicos e emocionais, como insônia, irritabilidade, dificuldade de concentração, sentimentos de tristeza e falta de motivação. O transtorno de adaptação pode ter um impacto significativo no cotidiano de pacientes de todas as esferas e faixas etárias, afetando suas relações interpessoais, desempenho no trabalho e qualidade de vida no geral. Pequenas mudanças na vida cotidiana dos portadores, triviais à primeira vista como acordar em um horário diferente, uma nova política corporativa ou uma reorganização no escritório, podem provocar em pacientes altamente sensíveis, desorientação e desconforto. Necessitados do tratamento passam a depender fortemente de uma programação regular para se sentirem seguros e em equilíbrio. Passam a preferir estabilidade e previsibilidade. Até mesmo eventos aparentemente positivos, como o nascimento de um filho ou uma promoção no trabalho, podem desencadear estresse devido à necessidade de se adaptar a novas responsabilidades e demandas emocionais.

Os sintomas do Transtorno de Adaptação

Os sintomas do Transtorno de Adaptação variam de acordo com a intensidade e a especificidade do quadro, portadores do transtorno são acometidos por episódios de desconforto emocional e dificuldade de ajustamento, muitas vezes sem uma causa aparente. Durante um episódio de adaptação, os indivíduos podem experimentar uma série de sensações emocionais avassaladoras, como ansiedade intensa, que se manifesta através de um estado constante de apreensão, nervosismo e preocupação excessiva com o futuro, mesmo diante de situações cotidianas o que pode desencadear sintomas físicos, como taquicardia, sudorese excessiva, tremores e sensação de falta de ar. Uma queda no humor pode ser identificada em estado de tristeza profunda, sentimento de melancolia persistente, acompanhado por uma sensação de desesperança em relação ao futuro e perda de interesse nas atividades que antes prazerosas, comprometendo a capacidade de lidar com as atividades cotidianas. A dificuldade de concentração é outro aspecto marcante do transtorno de adaptação. O paciente pode se sentir incapaz de manter o foco em tarefas simples, apresentando lapsos de memória e dificuldade em processar informações, podendo gerar frustração e aumentar ainda mais a sensação de incapacidade.

O medo persistente é uma característica central do transtorno de adaptação. Indivíduos podem experimentar um temor constante em relação ao futuro levando a evasão de situações que possam gerar novos desafios ou estresse. Esse medo pode se tornar paralisante, impedindo o paciente de buscar novas oportunidades e de se adaptar às mudanças necessárias em sua vida, direcionando os indivíduos a buscar ajuda profissional como decisão fundamental para promover a recuperação.

Causas do Transtorno de Adaptação

O Transtorno de Adaptação é uma condição complexa, sua causa ainda é alvo de estudos. Acredita-se que uma combinação intrincada de fatores genéticos, neurobiológicos e ambientais contribua para seu desenvolvimento. Desequilíbrios neuroquímicos, especialmente ligados a neurotransmissores como serotonina, dopamina e noradrenalina, assim com predisposição genética evidenciada por históricos familiares, têm sido associados ao transtorno. Eventos estressantes significativos, transições de vida desafiadoras ou mudanças repentinas no ambiente podem desencadear a manifestação dos sintomas do Transtorno de Adaptação em indivíduos vulneráveis. O uso inadequado de substâncias também pode desencadear os sintomas e intensificar a gravidade do transtorno.

Tratamento e Perspectivas Futuras

O diagnóstico do Transtorno de Adaptação requer uma avaliação detalhada por parte de um profissional de saúde qualificado. Esta avaliação inclui entrevistas clínicas minuciosas, avaliações psicológicas abrangentes, exames físicos detalhados e testes laboratoriais para descartar outras condições médicas que possam estar contribuindo para os sintomas. Uma vez estabelecido o diagnóstico, o tratamento do transtorno de adaptação geralmente envolve uma combinação de abordagens terapêuticas. Isso pode incluir medicamentos, como antidepressivos e ansiolíticos, além de terapias psicológicas, como terapia cognitivo-comportamental e técnicas de relaxamento. O suporte familiar e a instrução do paciente a respeito de sua condição desempenham um papel essencial no processo de recuperação.

Caso haja presença dos sintomas, recomendamos que o paciente consulte-se com uma das especialidades abaixo:

Referências

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION. (2013). DIAGNOSTIC AND STATISTICAL MANUAL OF MENTAL DISORDERS (5TH ED.; DSM-5). ARLINGTON, VA: AMERICAN PSYCHIATRIC PUBLISHING.

NATIONAL INSTITUTE OF MENTAL HEALTH (NIMH). (2022). ADJUSTMENT DISORDERS. RECUPERADO DE HTTPS://WWW.NIMH.NIH.GOV/HEALTH/TOPICS/ADJUSTMENT-DISORDERS/INDEX.SHTML

MAYO CLINIC. (2022). ADJUSTMENT DISORDERS. RECUPERADO DE HTTPS://WWW.MAYOCLINIC.ORG/DISEASES-CONDITIONS/ADJUSTMENT-DISORDERS/SYMPTOMS-CAUSES/SYC-20355224

WORLD HEALTH ORGANIZATION. (1992). THE ICD-10 CLASSIFICATION OF MENTAL AND BEHAVIORAL DISORDERS: CLINICAL DESCRIPTIONS AND DIAGNOSTIC GUIDELINES. GENEVA: WORLD HEALTH ORGANIZATION.

Dr. Miguel A. V. Franco

Escrito por Dr. Miguel A. V. Franco

Psiquiatra

CRM 132075

Você tem uma pergunta?

Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, dirija-se a um especialista.