Retinopatia Diabética

Dra. Sara Lemos

Dra. Sara Lemos

Médica de Família

Publicado em 29/02/2024

O que é retinopatia diabética?

Ilustração simulando exames oculares feito por médicos oftalmologistas.

Esta é uma complicação do diabetes não controlado que afeta os olhos.

Especificamente, é causada por danos aos vasos sanguíneos da retina, a camada de tecido no fundo do olho necessária para uma boa visão.

O excesso de açúcar no sangue é um fator crucial para o desenvolvimento desta doença, reforçando a importância do controle eficaz do diabetes.

Esta condição pode levar à perda de visão e, nos casos mais severos, à cegueira.

Causas e Fatores de Risco da Retinopatia Diabética

A principal causa da retinopatia diabética é a diabetes, tanto o tipo 1 quanto o tipo 2. O risco de desenvolvê-la aumenta com o tempo que a pessoa vive com diabetes, especialmente se o diabetes não for bem controlado.

Outros fatores de risco incluem pressão arterial alta, colesterol alto, e tabagismo.

Sintomas da Retinopatia Diabética

Nos estágios iniciais, a retinopatia diabética geralmente não apresenta nenhum sintoma, tornando a avaliação anual com o oftalmologista fundamental para a detecção precoce.

Quando os sintomas se manifestam, podem incluir visão embaçada, presença de manchas escuras ou flutuantes na visão, dificuldade em focar objetos centrais, e alterações na percepção de cores.

O diagnóstico é realizado através de um exame de fundo de olho dilatado ou imagem digital da retina, permitindo uma avaliação detalhada da saúde retiniana.

Quando buscar ajuda médica?

Se você tem diabetes e nota qualquer alteração na sua visão, é importante procurar um oftalmologista imediatamente.

Exames regulares de vista podem ajudar a detectar a retinopatia diabética em seus estágios iniciais, antes que os sintomas graves ocorram, sendo recomendado a todos os diabéticos, uma consulta anual com o oftalmologista para realização de fundo de olho como rastreio desta doença.

Tratamento da Retinopatia Diabética

O tratamento pode variar dependendo do estágio da doença e inclui, prioritariamente, o controle rigoroso do diabetes, além de injeções intraoculares, terapia a laser ou cirurgia vitreorretiniana.

O objetivo é prevenir a progressão da doença e preservar a visão tanto quanto possível.

Prevenção e Cuidados

Manter o diabetes bem controlado é a melhor forma de prevenir a retinopatia diabética. Isso inclui realizar exames e monitorar os níveis de açúcar no sangue, de acordo com o recomendado pelo seu médico, além de manter um bom controle da pressão arterial e níveis adequados de colesterol.

Os hábitos de vida saudáveis, como manter uma alimentação apropriada, fazer exercícios regularmente, e evitar o tabagismo, também são fundamentais para o controle de qualquer doença.

Avaliações regulares com um oftalmologista devem fazer parte do plano de acompanhamento do diabético, para a detecção precoce e o tratamento da retinopatia diabética, reduzindo significativamente o risco de perda de visão grave. A regularidade vai variar de acordo com o recomendado pelo clínico, endocrinologista ou médico de família que acompanha o paciente diabético e de acordo com a avaliação oftalmológica realizada.

Caso haja presença dos sintomas, recomendamos que o paciente consulte-se com uma das especialidades abaixo:

Embora a retinopatia diabética seja uma consequência preocupante do diabetes, o diagnóstico precoce e o tratamento adequado, juntamente com um controle eficaz do diabetes, podem ajudar a preservar a visão e a qualidade de vida dos afetados.

A colaboração entre pacientes e profissionais de saúde é fundamental para o manejo bem-sucedido desta condição.

Dra. Sara Lemos

Escrito por Dra. Sara Lemos

Médica de Família

CRM-MG: 48683

Você tem uma pergunta?

Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, dirija-se a um especialista.