#475569

Arritmia

Dr. Rodrigo Athanazio

Dr. Rodrigo Athanazio

Clínico Geral

Publicado em 18/04/2024

As arritmias, ou problemas de ritmo cardíaco, afetam milhares de pessoas ao redor do mundo. A maioria das pessoas com um ritmo cardíaco anormal pode levar uma vida normal se for diagnosticada corretamente. Existem diferentes tipos de arritmia, como a fibrilação atrial, taquicardia supraventricular, bradicardia, bloqueio cardíaco e fibrilação ventricular. As arritmias podem afetar todas as faixas etárias, mas a fibrilação atrial é mais comum em pessoas mais idosas. Beber álcool em excesso ou estar acima do peso aumenta a probabilidade de desenvolver fibrilação atrial. Danos no tecido cardíaco devido a doenças como infarto, insuficiência cardíaca ou COVID-19 também podem aumentar o risco de desenvolver uma arritmia. A fibrilação atrial é uma causa comum de acidente vascular cerebral.

Homem passando por consulta com médica.

Prevenção e gatilhos

Embora nem sempre seja possível prevenir o desenvolvimento de uma arritmia, ter um estilo de vida saudável pode reduzir o risco de desenvolver problemas cardíacos. Além disso, evitar gatilhos conhecidos, como doenças virais, consumo abusivo de álcool, tabagismo, ingestão em excesso de cafeína e uso de certos medicamentos estimulantes ou drogas ilícitas, também pode ajudar a prevenir episódios de arritmia.

Diagnóstico

Se os sintomas persistirem ou houver histórico de morte súbita inexplicada na família, é importante que seu médico o encaminhe para um especialista em problemas cardíacos (cardiologista). O diagnóstico mais eficaz de uma arritmia é feito por meio de um registro elétrico do ritmo cardíaco chamado eletrocardiograma (ECG). Se o ECG não encontrar problemas, pode ser necessário monitorar o coração por um período mais longo, usando um dispositivo portátil de registro de ECG chamado Holter. Alguns pacientes podem ser solicitados a usar um monitor de ECG por até 14 dias. Se os sintomas parecerem ser desencadeados pelo exercício, um ECG de exercício pode ser necessário. É importante solicitar uma cópia do seu ECG e levá-la ao cardiologista para avaliação durante a consulta.

Tratamento

O tratamento da arritmia dependerá se é uma arritmia rápida ou lenta, ou um bloqueio cardíaco. Além disso, as causas subjacentes da arritmia, como insuficiência cardíaca, também devem ser tratadas. Os tratamentos para arritmias incluem medicamentos para interromper ou prevenir a arritmia, cardioversão elétrica para restaurar o ritmo cardíaco normal, ablação por cateter para destruir o tecido doente no coração que causa a arritmia, implante de marca-passo para regular o ritmo cardíaco e desfibrilador cardioversor implantável para monitorar o ritmo cardíaco e corrigi-lo quando necessário.

Dr. Rodrigo Athanazio

Escrito por Dr. Rodrigo Athanazio

Clínico Geral

CRM-SP: 122658

Você tem uma pergunta?

Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, dirija-se a um especialista.